Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 1 de julho de 2011

CAMINHO DA LIBERTAÇÃO - 28




28. –
Simultaneamente, com a observação continuada da mente (27), vamos ver e ouvir sem restrições tudo o que nos rodeia. A montanha, a fraga, o bosque de folhosas, o nascer e o pôr-do-sol, o autocarro apinhado de gente, a mulher no mercado, o vozerio das vendedeiras, o mendigo paralítico, monumentos, obras de arte, o mar revolto, a calmaria da lagoa, o céu azul com as suas nuvens em movimento, as estrelas, as vozes na praça da aldeia, o ruído dos automóveis, a música.
Vamos observar o que nos rodeia sem comparar ou interpretar, porque tudo é novo, sempre novo.

Com a mente vazia, num estado de tranquilidade quase perfeito, há uma percepção real, não contaminada do objecto da observação.
E só esse estado permite a percepção da beleza de forma estável e duradoura.

Se virmos e escutarmos tudo o que nos rodeia enquanto observamos a mente e esta se encontra em estado de repouso, teremos acesso imediato à sabedoria e à plenitude, por penetrarmos sem qualquer esforço no âmago e essência de todas as coisas, da Realidade.


JOSÉ MARIA ALVES
www.homeoesp.org


Sem comentários: