Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 1 de julho de 2011

CAMINHO DA LIBERTAÇÃO - 20




20. –
A observação pura e simples da respiração é um excelente método de controlo da mente e de meditação.
Quando a nossa atenção nela recai, os pensamentos desvanecem-se.


Conta-se que Buda na sua busca da iluminação experimentou praticamente todos os métodos que havia para experimentar, até que um dia a atingiu sentado à sombra de uma figueira, tendo transmitido aos seus discípulos o segredo, de uma forma que se nos apresenta de forma aparentemente simples: “Quando respirardes muito profundamente, queridos monges, tende consciência de que respirais muito profundamente. Quando respirardes pouco profundamente, tende consciência de que respirais pouco profundamente. E quando respirardes superficialmente, tende consciência de que estais a respirar superficialmente.”

Comecemos previamente por nos concentrar no nosso corpo.
Mantendo-nos imóveis, procuraremos atingir o relaxamento corporal e mental, deitados (16 e 17) ou sentados (18 e 19), e posteriormente em movimento (19).
Relaxando progressivamente, concentremo-nos na respiração. No ar que entra e sai pelas narinas e no seu trajecto ao longo das vias respiratórias.

Apesar de não ser tarefa fácil, evitemos os pensamentos, a dispersão mental. Caso surjam, não lhes iremos resistir. Vamos observá-los deixando-os atravessar a mente tal como as águas de um rio se deslocam na direcção do mar e as aves cruzam os céus, retomando logo que possível a concentração no acto de respirar.
Este exercício deve ter o seu tempo progressivamente aumentado, evitando-se assim a brusca libertação de material inconsciente, bastas vezes de natureza traumática.


JOSÉ MARIA ALVES
www.homeoesp.org


Sem comentários: