Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

terça-feira, 1 de junho de 2010

FERNANDO GUIMARÃES (1928) - ARÚSPICE







Meu amor, as entranhas das vítimas conservaram o seu enigma,
O fogo nos altares apagou-se lentamente,
Talvez como outrora já não venham as pombas
Alimentar-se de palavras em nossas mãos erguidas.

Pelo céu os cometas passaram mas a memória esquece
O vestígio de sangue que nos deixa o seu brilho.
A areia secou os rios, as nascentes,
Enquanto só o tempo prolonga a nossa esperança.

Junto de nós, a rosa foi apenas o seu desenho de cinza,
Uma criança nasce para sempre coroada de espinhos,
Tornaram-se para sempre os nossos braços extensos e mais puros
Para erguermos, amor, em cada cruz um homem.


Sem comentários: