Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 2 de junho de 2010

ANTÓNIO FERREIRA (1528-1569) - AH, PORQUE NÃO POSSO EU...







Ah, porque não posso eu em prosa, ou rima
tão alto levantar o brando nome,
que em toda praia estranha, estranho clima,
brandura a fera gente dele tome;

com que eu batendo as asas vá por cima
da baixa inveja, e assi a vença, e dome,
que em vão seus dentes quebre e dura lima,
em vão louvor esconda, erros assome?

Mas, pois não basta o espírito a empresa tanta,
bastar devia ao menos aqueixar-se
esta língua em meu mal só fria, e muda.

Assi a clara vista me ata, e espanta,
que quando dela espero mor ajuda,
então a vejo em dano meu calar-se.

Sem comentários: