Este diário complementa o nosso site pessoal

( VER ETIQUETAS NO FIM DA PÁGINA )

USE O PESQUISADOR DO BLOGUE -

-

OS TRATAMENTOS SUGERIDOS NÃO DISPENSAM A INTERVENÇÃO DE TERAPEUTA OU MÉDICO ASSISTENTE.

ARTE

Pesquisar neste blogue

sábado, 15 de maio de 2010

ERICH MUHSAM (1878-1934) - O REVOLUCIONISTA






Era um revolucionista
Limpava candeeiros a gás;
Marchava que enchia a vista
C’os companheiros, o rapaz!

Diz: «Vou revolucionar!»
E de boné revoltoso
P’ra banda esquerda a tombar,
Até se julga perigoso.

Mas a revoltosa gente
Mete pela rua de trás,
Onde ele, pacatamente,
Limpava os candeeiros a gás.

Às lanternas deitam mão,
No pavimento enterradas;
Querem arrancá-las do chão
P’ra construir barricadas.

E o nosso revolucionista
Grita: «Eu sou o lavador
Desta luz que é nossa vista
Não ma tirem, por favor!

Se lhe cortarem o gás,
Não vê nada o bom burguês.
Por favor, voltem atrás! –
senão, não vou com vocês!»

Mas os revoluças riram,
E o lavador foi-se embora;
Os candeeiros a gás caíram –
Ele, desespera e chora.

Ficou em casa a escrever
Um livro em que diz como é
Que se revolve a valer
Deixando os candeeiros de pé.

Tradução de João Barrento

Sem comentários: